AS AVENTURAS SEXUAIS DE SILVINHA - UMA GAROTA PERVERTIDA - PARTE I

PARTE I



Quem viveu, passou ou ouviu falar da Rua Duarte Aurora, tem histórias para contar...

É que no nº 50 morava Silvinha, uma garota de 19 aninhos, pervertida e louca por sexo. E a danada fazia de tudo, queria mesmo era ser comida. Que nada, devorada, chupada, penetrada; por um, dois e até três. Era o máximo que permitia.


Dizia que mais que três homens a fazia perder os sentidos e queria sentir cada pegada, cada pinto entrando na sua boceta rosadinha, no seu ânus apertadinho e na sua boca carnuda e gostosa. Louca para engolir uma porra.



Durante sua adolescência, Silvinha levava uma vida regrada e era muito tímida. Nutria fantasias inocentes por seus professores de Geografia, Física e Português. Imaginava que eles a amavam e a respeitavam, e que um dia casaria com um deles. 


Mas os anos passaram, Silvinha desenvolveu um corpo escultural e ao completar 18 anos, ainda virgem, uma amiga a levou para assistir a um filme pornô. Silvinha era puro êxtase, gozou sem saber que havia gozado na cadeira do cinema. Sua vagina molhada, inchada, louca para ser penetrada, desvendada, deflorada, revelou a Silvinha um prazer que mudaria todo rumo de sua vida.


Filha de um coronel barra pesada e de uma mãe beata, Silvinha foi criada sob os mais rígidos costumes. Falava inglês, francês e arranhava o espanhol, era extremamente culta e inteligente. Aos olhos do pai a filha perfeita! Porém, Silvinha, agora nos seus 18 anos, não era mais a mesma. Após a sessão do cine pornô, queria perder a virgindade a qualquer custo. E claro, sua amiga, Claudia, cuidou de apresentar seu irmão, Fábio.



Fábio era 10 anos mais velho que Silvinha e um tremendo garanhão. Era alto, loiro, e tinha várias tatuagens espalhadas pelo seu corpo malhado e sarado. Ao ver Silvinha vestida com um shortinho de jeans e uma batinha branca transparente que revelava seus seios fartos em um lindo sutiã meia-taça, fantasiou loucas posições com a virgem garota. Agarrou-a por trás, com seus braços fortes e musculosos, e a levou para seu quarto. 


Silvinha deixou o perfume de Fábio embriagá-la, fechou os olhos e sentiu a mão dele percorrer dentro de seu shorts. Ele deu uma pegada gostosa na bunda macia e carnuda de Silvinha. Ela estava entregue aos desejos daquele homem sedento por sexo.



Ele a jogou na cama, tirou a camiseta, a calça e a cueca. Seu pinto já estava ereto, pronto para foder Silvinha. O corpo de Fábio, aos olhos de Silvinha, era um banquete dos deuses e aguçava ainda mais seu desejo por sexo. Ela estava pegando fogo, sua boceta latejava de tanto desejo. 


Quando ela ia tirar o shorts, Fábio segurou seus braços para trás e, com a outra mão, tirou o shorts de Silvinha, olhando-a nos olhos, comendo-a em pensamento. Ela gemia e tentava se soltar para beijá-lo, mas ele não deixava.


Ele encostou seu pinto ereto na boceta dela delicadamente, em movimentos de vaivéns suaves. Enquanto isso arrancava sua bata e seu sutiã meia taça. Beijou seus seios, mordeu delicadamente seus mamilos e, então, beijou-a ardentemente.



Silvinha não dizia uma palavra, apenas gemia e com os olhos fechados tentava sentir cada pegada daquele homem delicioso. Ele puxou suas pernas para sua cintura e começou a penetrar, ao sentir o hímem era puro êxtase. Afinal, todo homem tem a fantasia de transar com uma virgem, ser o primeiro homem... 

Sua virilidade estava à flor da pele. Ele sabia foder uma mulher como nenhum outro homem. Aos poucos foi penetrando com mais força, recuava, penetrava, recuava, até que rompeu o hímem e Silvinha foi à loucura. Ela mexia seu quadril em movimentos ritmados ao dele. Os dois experimentaram uma foda para nunca mais esquecer!


Silvinha sentiu o orgasmo em toda sua essência pela primeira vez, e queria mais, muito mais... Fábio já havia trepado com tantas mulheres que nem sabia quantas, mas Silvinha mexeu com ele. Ela começou a acariciar suas costas, ele sorriu e beijou o corpo dela todinho, dos pés à cabeça. Ela se contorcia, gemia, arranhava-o e tentava beijá-lo, mas ele não deixava. Segurava ela firme na cama, deitada. Como se ele fosse o dono dela, ele estava no comando. 




Abriu suas pernas, viu uma mancha de sangue no lençol, a prova do hímem rompido. Seu orgulho viril foi às nuvens. Ele começou a chupar a boceta de Silvinha e ela adorou a experiência e arreganhou as pernas para receber a boca e a língua quente e gostosa de Fábio na sua vagina. Silvinha gozou novamente! 


Ela estava exausta e, definitivamente, aquela garota tímida tinha morrido revelando uma mulher faminta por sexo! Ela se vestiu e eles se despediram e Fábio deixou bem claro que se ela quisesse foder, era só aparecer. Ela sorriu e foi embora feliz da vida sentido-se renovada, diferente, ansiosa, e com uma força interior que não sabia explicar e não podia entender naquele momento.

Os dias passaram e os pais de Silvinha sequer notaram que a filha estava diferente. Ela tinha passado em todas as universidades que prestou vestibular. Escolheu estudar em outra cidade, para ter liberdade de provar outras experiências sexuais.


E lá foi Silvinha, com uma mala cheia de livros e a outra repleta de lingeries.

Continua...


PARTE II JÁ PUBLICADA - CLICK E LEIA:
As Aventuras Sexuais de Silvinha - Parte II

Copyright © 2014 - Todos Direitos Reservados a Marcela Re Ribeiro - Reprodução Proibida

UMA NOITE PARA NUNCA MAIS ESQUECER




Há tempo esperava um sinal que unisse você a mim. Se disser que posso ter-te de qualquer jeito; prepara-te, pois chegarei faminta e quero sentir-te de todas as formas.  Será tão intenso e verdadeiro que fará de ti um novo homem. Mas, por favor, quando eu chegar, espero que me foda do jeito que eu gosto, do jeito que só você sabe fazer!  Estou a caminho...



Exalo no corpo um novo cheiro
Embriagar-te-ei em prazer
Uma mistura de eu e você
Verás que não sou mais a mesma
Sua falta em meu corpo me fez enlouquecer
Agora que posso a ti unir-me, surpreenda-me
Por suas mãos revela-me, o que sempre sonhei ser...

Sua, só sua.

Ouço como resposta sua ansiedade em possuir-me...


Sua ansiedade põe meu corpo em chamas
Mal posso esperar para despir minhas fantasias
Sua pele na minha pele paixão pura flama
Há muito tempo minha sede de sexo a ti pertencias
Não tenha pressa, pois quero possuir-te lentamente
Saborear cada centímetro da sua virilidade
A madrugada silenciará diante de nossa loucura
Somos amantes vorazes sem nenhuma castidade

Vejo-te pela fresta da janela
Vem... Receba-me
Cheguei!


Por debaixo do meu casaco um corpo nu
Minha pele macia exala um perfume suave
Estou pronta para ser devorada por você
Meu corpo ânsia seu cheiro de homem
Sua porra escorrendo dentro de mim
Vem,


Faça dessa noite uma noite para nunca mais esquecer...

Copyright © 2014 - Todos Direitos Reservados a Marcela Re Ribeiro - Reprodução Proibida

SONHO SER SUA DEUSA


Quem me dera ser a deusa dos seus sonhos
E minhas marcas em sua pele tecer
Nossos corpos saciando-se destemidos
Em uma noite para nunca mais esquecer


Trago nos lábios o batom de pitomba
Mordo-te todinho até te enlouquecer
Nossos corpos unidos numa festa de arromba
Quero perder-me em você até o amanhecer


Se me nomeias tua deusa eu não resisto
Entrego-me inteira a seu bel-prazer
No calor de sua pele minha libido dispo
E cavalgando sobre o seu corpo faço a lua emudecer



Sentir o seu gozo é tudo que mais almejo
Somos fogo, despidos dos medos
Deixando-me embriagar em seu libertino cortejo
Revelo para ti os meus secretos desejos




Tuas mãos desvendando meu corpo
Regem uma sinfonia de puro deleite
Uma noite para nós... é pouco!
Ouça, nossos gemidos ecoam na madrugada


E enquanto minha boca a sua procura

Diante de nossa entrega a noite se cala...


Copyright © 2014 - Todos Direitos Reservados a Marcela Re Ribeiro - Reprodução Proibida

SEDUTORAS - SEDENTAS POR SEXO





No nosso último encontro você revelou o desejo de ser devorado por duas mulheres. Convidei uma amiga para essa brincadeira a três...


Quando você chegou eu estava pronta, cheirosa, cheia de tesão e nua. Abri a porta, te puxei e antes que você pudesse dizer uma palavra, beije-te ardentemente. Suas mãos segurando meu corpo nu, deslizando  e apertando minhas nádegas, meus seios. Puro deleite!


Enquanto nos beijávamos, Isabel chegou por trás, te agarrou  e começou a tirar suas calças. Você abriu os olhos, sorriu e entre murmúrios e gemidos suspirou no meu ouvido: safada!



Em um movimento rápido, puxou a Isabel para frente e beijou-a, sentiu seu cheiro, mordeu-a e se deliciava nos seios dela. Enquanto isso eu chupava seu pinto. Você estava entregue à nossa fantasia. 

Você se afastou e eu entendi o recado. Isabel e eu começamos a nos acariciar, nos beijar; ela chupava meus seios e começamos a nos masturbar; esfregávamos nossos bocetas quentes e inchadas de prazer, loucas para serem fodidas pelo seu caralho duro, quente, macio e delicioso!


Você assistia à nossa cena e se masturbava. Então, caminhamos lentamente até você. Isabel apoiou-se no móvel de costas, empinou a bunda e ofereceu a você, mexendo e abrindo as nádegas, revelando uma boceta rosadinha, quente e molhadinha. Você penetrou gostoso nela. Enquanto ela mexia freneticamente o quadril, você chupava meus seios, me beijava, me agarrava com sua força masculina, que me deixa louca de prazer. E sua mão quente e macia masturbava minha vagina.




Antes que nosso gozo jorrasse de prazer, você deitou e me comeu gostoso, enquanto chupava e se lambuzava todinho na vagina quente e molhadinha da Bel. Como você trepa! Deixou-nos enlouquecidas e entregue ao seu deleite...



E, assim, fomos consumidos pelos nossos mais devassos desejos. Que noite! Você me enlouquece de prazer e sempre estarei pronta para satisfazer os seus mais secretos desejos. 

Vem, me conta...

Estou pronta para ser sua do jeito que me quiser.



Copyright © 2014 - Todos Direitos Reservados a Marcela Re Ribeiro - Reprodução Proibida

ENQUANTO TODOS DORMEM... VEM, ME COME!



Meu corpo almeja seu calor
Penetrando-me da maneira que for
Descubra-me, não tenho pudor
Não importa a hora, venha, serei sua...

Foda-me gostoso com seu caralho duro e quente.
Em movimentos fortes e ritmados você fode-me com vontade!
Minha boceta explode em tesão ao sentir-te tão viril, tão homem, tão meu...
Sua masculinidade me domina, entrego-me aos seus mais secretos desejos.



Entre beijos, tapas, mordidas e palavras obscenas, você me devora!
Sua boca gostosa chupa minha vagina.
Arregaço minhas pernas, entrego-me feito uma vadia.
Meu corpo estremece, arrepio-me todinha!



Vira-me de costas, coloca-me de quatro.
Você quer comer meu rabo.
Seu caralho penetra gostoso, mexe, mexe, eu enlouqueço!
Estou à mercê de seus desejos...



Entregue às suas fantasias nos consumimos madrugada adentro.
Enquanto todos dormem, deleitamos nossos corpos no mais devasso prazer.
Da próxima vez, no próximo encontro,  também quero mostrar meu poder.
Será minha vez de foder-te como nenhuma outra mulher já fez!

Aguarda-me...


Recebi essa deliciosa interação de meu amigo Miguel Jacó (postado no comentário em 10/01/2014)


MIGUEL JACÓ - DEMANDA INIGUALÁVEL



Está no mundo o poder de dar prazer,
Basta unir-se dois seres com muita gana,
E uma mulher perfeita dama puta na cama,
Com uma demanda inigualável para fuder...

Junto de ti a minha pica nunca amolece,
É penetrando-te que reforça-me a libido,
Tens a boceta apertadinha isto apetece-me,
Meu pau lá dentro e aqui ouço teus gemidos.



Sei que te pego quando lambo a tua boceta,
Em cada sugada que implemento em teu clitóris,
É tão gostoso o apreciar das tuas caretas,
E jeito meigo que geralmente tu me imploras.

Ficas de costas me empinando redonda bunda,
Teu orifício escurinho pra mim piscando,
E o meu caralho não demora está penetrando-o,
Logo depois nós dois aos berros vamos gozando.

Foi no silêncio do alvorecer que nos comemos,
Dentro um do outro num orgasmo sem igual,
Quantas delícias nesta fusão de boceta e pau,

Outros bacanais já figuram em nossas mentes.




Visite a página de Miguel Jacó



Copyright © 2015 - Todos Direitos Reservados a Marcela Re Ribeiro - Reprodução Proibida